Paulo Eduardo Martins: “Greve dos petroleiros foi tramada para desestabilizar o país”

Publicado: terça-feira , 18 de fevereiro 2020 17:26

Foto: O Antagonista

 

A decisão do Tribunal Superior do Trabalho que considerou ilegal a greve dos petroleiros reforça o que o deputado federal Paulo Eduardo Martins (PSC-PR) já pregava nos últimos dias em entrevistas e nas suas redes sociais: “Essa greve é politica, não há uma razão trabalhista para ela existir. É só um movimento desestabilizador, porque esse sindicato, essa federação dos petroleiros, é só mais um braço de atuação política do PT”, avalia Martins.

De acordo com o despacho do ministro Ives Gandra Martins, do TST, se a paralisação continuar, os sindicatos devem pagar multas diárias que variam de R$250 mil a R$ 500 mil.

Para Paulo Eduardo Martins, o que a Federação dos Petroleiros quer, na prática, é provocar um desabastecimento, para deixar a população descontente e afundar novamente o país no caos. “A ideia é fazer com que as ações da Petrobras caiam, o que faria com que os investidores internacionais adquirissem a empresa a preço de banana, porque, pelo bem do Brasil, a privatização é inevitável”, analisa o
presidente do PSC paranaense. Paulo Eduardo Martins conclui: “Mais uma vez, essa turma de irresponsáveis trabalha para que o país piore. Mas estamos alerta e o povo já percebeu esse jogo. Não vamos deixar acontecer”.

Fonte: Assessoria

PSC nas redes sociais

PSC
  Youtube
  Instagram

Cadastre-se e Acompanhe o dia a dia do PSC