Crédito para produtor rural aumenta expectativa de crescimento do setor no AM

Publicado: terça-feira , 28 de julho 2020 16:28

De acordo com o Wilson Lima, as medidas de incentivo para a produção rural durante a pandemia ocasionaram crescimento do setor primário do estado.

Com a concessão do Crédito Emergencial pela Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), em parceria com a Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS), produtores rurais das feiras da ADS afirmam que vão poder reaquecer seus negócios e melhorar as estruturas de trabalho. A linha de empréstimos é de até R$ 21 mil aos empreendedores dos ramos de laticínios, hortaliças, frutas, ovos e condimentos.

A linha de Crédito Emergencial para os feirantes da ADS conta com financiamentos de R$ 5 mil (sem avalista) até R$ 21 mil (com avalista), além de 180 dias para começar a pagar e a menor taxa de juros anual do país, equivalente a 6%. Atuando na feira da ADS há mais de dez anos, o produtor rural, Isaque Pinheiro, de 44 anos, disse que o apoio vai ajudar a impulsionar os negócios.

“O apoio do Governo vem sendo desde quando começou a pandemia, com o lançamento de alguns programas e comprando parte da produção da gente. E agora, com esse segundo ato, ele vem alavancar e potencializar a nossa produção, que é uma produção agrícola familiar. Esse crédito vem para nos ajudar onde precisamos, para que a nossa produção seja contínua sempre e tenha um preço acessível ao consumidor final”.

A feirante Aline Gadelha, 31, é também uma das 56 beneficiadas pelo financiamento. Ela, que atua no ramo de produtos para dieta, vai poder aperfeiçoar seu empreendimento. “Esse crédito vai tirar a gente do sufoco. Com esse dinheiro vai dar para quitar todas as dívidas, melhorar na fabricação dos produtos e nosso ambiente de trabalho”.

O governador Wilson Lima participou, na manhã desta terça-feira (28/07), da entrega do Crédito Emergencial a 56 feirantes vinculados à ADS, totalizando R$ 358,6 mil em recursos. Ele pontuou que as medidas de incentivo para a produção rural durante a pandemia ocasionaram crescimento do setor primário do estado.

“O setor primário movimentou a economia mesmo durante a pandemia, e eu tive a preocupação de não suspender as atividades do setor. Só na produção de grãos, nós vamos ter um aumento em relação ao mesmo período do ano passado. Em 2019 nós tivemos uma colheita de 37 mil toneladas de grãos, e nesse ano nós vamos ter uma colheita de 42 mil toneladas, sobretudo puxado pela soja e também pelo feijão, e boa parte disso daí lá no sul do Amazonas, no município de Humaitá”.

Prevenção – As feiras da ADS voltaram a funcionar desde o dia 30 de junho, com a abertura do terceiro ciclo das atividades econômicas. O diretor-presidente da ADS, Sérgio Litaiff Filho, explicou que o funcionamento das feiras está obedecendo às medidas de prevenção.

“As feiras acabaram nos surpreendendo e surpreendendo os próprios feirantes em razão da grande procura, mesmo em tempos de pandemia. A gente tem mantido todas as medidas de segurança para que não só os feirantes, mas os nossos colaboradores e, principalmente, os consumidores estejam protegidos”.

Fonte: Valor Amazônico

PSC nas redes sociais

PSC
  Youtube
  Instagram

Cadastre-se e Acompanhe o dia a dia do PSC